JESUS CRISTO: A MENSAGEM CENTRAL DA BÍBLIA
Escrito por secretaria   
Qua, 27 de Julho de 2016 15:28

Pense comigo! Lucas 2.21 declara que Jesus tinha oito dias de nascido quando recebeu o sinal da antiga aliança – a circuncisão. Lucas 2.22-23 informa que depois de 40 dias, José e Maria levaram Jesus ao templo, para consagrá-lo a Deus “conforme o que está escrito na lei do Senhor” (v.23; Êx 13.1-2). Lucas 4.16 revela que Jesus, segundo o seu costume, estudava o AT na sinagoga, aos sábados. Vemos, portanto, que, na pessoa de Jesus Cristo, há uma conexão visceral, fundamental entre os dois testamentos. E esta verdade fica patente no NT, onde o autor da Epístola aos Hebreus ressalta a continuidade de Deus falando ao longo da história – Hb 1.1-4, que nos apresenta o clímax, o ápice da revelação. Temos assim,

uma progressão, uma mudança e, por que não dizer, um contraste entre a mensagem do AT e a do NT. Contraste este centrado em Jesus Cristo, a mensagem central da Bíblia.Em um único texto bíblico - Hb  9.23-28 - quantas maravilhas encontramos. Aleluia! Foi o sacrifício único de Jesus que cumpriu todas as leis cerimoniais de sacrifício do AT (v.26-28).

No salmo 109 (salmo imprecatório) ouvimos a oração de Davi falando daqueles que não se lembraram da misericórdia, mas perseguiram o aflito e o necessitado, como também o quebrantado de coração, para entregá-los à morte (v.16). E o que é que o salmista pede a Deus: “que seus dias sejam poucos [...] fiquem órfãos os seus filhos [...] andem errantes os seus filhos e mendiguem (v.8-10). Contudo, foi o ensino de Jesus que mudou (contraste) as imprecações dos salmos conforme eram entendidas de modo geral, pois, Mateus 5.38-48 (leia o texto com atenção) registra uma maravilhosa progressão. Que mudança! Que contraste! Que bênção!

A própria oração do Senhor, na cruz do Calvário, demonstra tal contraste: “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem” – Lc 23.34.

Finalmente, foi a ressurreição de Jesus que mudou do sétimo dia, o sábado, para o primeiro dia da semana, o dia do Senhor. Êx 20.10 ordena: “mas o sétimo dia é o sábado do SENHOR, teu Deus; não farás nenhum trabalho”. Já no NT vemos uma gradativa mudança do sétimo dia para o primeiro dia da semana, o dia do Senhor, para celebrar a ressurreição de nosso Senhor.

A ressurreição de Jesus traz uma nova perspectiva de vida, contrastando com o pensamento do AT, que considerava a morte o fim de todas as coisas: “Vaidade de vaidade, diz o Pregador, tudo é vaidade” (Ec 12.8; 1.1). Saber que o sacrifício de Jesus, o ensino de Jesus e a ressurreição de Jesus (preanunciados no AT) nos trouxeram uma nova perspectiva de vida, nos faz encarar o mundo com esperança e certeza de vitória: “No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo” (Jo 16.33).

Estar em Cristo, viver para ele e por ele, faz toda a diferença entre a futilidade de uma fé vazia – logo de uma vida vazia – e a verdadeira obediência, o verdadeiro e frutífero sentido da vida. Da vida abundante que Jesus Cristo - o Messias prometido no AT, o Amigo por excelência - veio nos dar! Aleluia!

Com carinho pastoral,

Rev. Claudio Aragão da Guia

 

Novembro 2019
D Se T Q Q Se S
27 28 29 30 31 1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30