EXCELENTE OBRA
Escrito por secretaria   
Seg, 18 de Julho de 2016 14:00

A Bíblia se refere à excelência do amor fraternal, do sacerdócio de Cristo e em 1 Tm 3.1-13 o apóstolo Paulo qualifica de excelente a obra daqueles que se dedicam ao cuidado do povo de Deus e do reino de Deus. E por que Paulo qualifica tal obra como excelente?
1º. Pelo privilégio daqueles que são chamados para sua realização:
• É um privilégio ser escolhido por Jesus para ir e dar fruto – João 15.16.
• É um privilégio ser chamado para servir:
- para ser sal, impedindo que o mundo se corrompa ainda mais em seus pecados (Mt 5.13).
- para ser luz, indicando o caminho e possibilitando a vida aos que estão nas trevas da morte (Mt 5.14).
Sem dúvida alguma, a obra do diácono – ou de qualquer membro do corpo de Cristo -  é uma tarefa gloriosa, excelente e tem por base a amorosa preocupação de Jesus Cristo com seu povo. E tal preocupação fica
evidente pelo fato de Jesus considerar o que quer que seja feito ao menor de seus irmãos como se tivesse sido feito a ele próprio, à luz de Mt 25.34-40.
Conforme 1 Tm 3.8-13 os diáconos, “semelhantemente” (v.8) aos bispos/presbíteros, a fim de levar a bom termo tarefa tão digna, tão nobre, devem ser homens cheios de fé e do Espírito Santo (At 6.5).
2º. Pela nobreza do seu glorioso propósito – as glórias desse mundo são passageiras, são efêmeras (glórias dos Jogos Olímpicos... no passado os vencedores recebiam uma coroa de louros que, rapidamente, murchava).
Servir a Deus – em qualquer ministério, em qualquer função – diz respeito ao resgate de vidas para a eternidade. Disse Jesus: “Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens” (Mc 1.17). Sim, resgatar e sustentar vidas. No pensar de Jesus, uma alma vale mais do que o mundo inteiro (Mc 8.36).
Esta é a essência, a causa da excelência, da nobreza da obra na qual estamos envolvidos. A Igreja é de Cristo. Somos chamados por Cristo. Enviados por Cristo para darmos continuidade à obra de Cristo (Jo 4.34; At 1.1).
3º. Pela grandeza de seus resultados:
• Os resultados são garantidos, ainda que haja lágrimas – Sl 126.6: “Quem sai andando e chorando, enquanto semeia, voltará com júbilo, trazendo os seus feixes”.
• A obra que fazemos tem recompensa – 2 Cr 15.7: “mas sede fortes, e não desfaleçam as vossas mãos, porque a vossa obra terá recompensa”.
• Porque no Senhor, a nossa obra não é vã – 1 Co 15.58.
Especialmente quanto aos diáconos, aqueles que servem bem, com excelência, adquirem para si uma nobre posição. A igreja tem deles um alto conceito, porquanto servem com dignidade. E no poder do Espírito Santo, fazem o melhor que podem, o que lhes dá grande confiança. E esta confiança tem ligação com a fé centrada em Jesus Cristo, pois é a respeito do Senhor Jesus Cristo que os diáconos livres e alegremente dão testemunho (1 Tm 3.13).
Somos bem-aventurados, verdadeiramente felizes, pois estamos comprometidos (todos nós – presbíteros, diáconos, cada membro do corpo de Cristo) com uma excelente obra, nós que temos o privilégio de termos sido chamados para sua realização. Também pela nobreza, excelência do seu glorioso propósito (resgatar e sustentar vidas eternamente) e pela certeza de seus gloriosos e excelentes resultados, garantidos pelo Senhor Jesus (Jo 15.16).
A ele, pois, a glória, a honra e o louvor!
Rev. Claudio Aragão da Guia
 

Setembro 2019
D Se T Q Q Se S
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 1 2 3 4 5